Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A cabala (12)

por Pedro Correia, em 01.12.14

«Podemos chegar à conclusão que temos uma justiça que encarcera um ex-primeiro-ministro sem indícios muito fortes.»

 

«É bom que se entenda que não há indício que justifique o injustificável: não haver o menor cuidado na preservação do segredo de justiça.»

 

«Pode ser ainda pior, uma condenação sem factos e razões absolutamente indiscutíveis.»

 

«Não, não é sinal do bom funcionamento da democracia que um ex-primeiro-ministro seja acusado de corrupção. Como seria um fortíssimo indício de que o sistema está com graves problemas se um ex-primeiro-ministro fosse condenado pela prática desse crime.»

 

Pedro Marques Lopes (DN, 26 de Novembro)

Autoria e outros dados (tags, etc)


5 comentários

Sem imagem de perfil

De Marquês Barão a 01.12.2014 às 21:05

Relatório emoldurado suporte de acusação frente a habeas corpus de libertação (continua)
É preciso esclarecer se Sócrates a ter prevaricado, o fez valendo-se das funções de Secretário do partido e de 1º ministro em proveito próprio.
Acrescentar ainda, caso se verifique a situação explicitada, ser curial apurar cumplicidades de que tenha beneficiado. Haverá mãos sujas nas suas cercanias?
Inqualificável cegueira, quando muitos comentadores que inundam as televisões se mostram indignados com o circo mediático á volta de Sócrates. Sacudam da cara o ridículo da triste e hipócrita figura que estão a levar a cena e saiam do circo. Nunca se viu esta espécie de gente incomodar-se com o aparato das televisões a seguir um autocarro com futebolistas durante uns quilómetros do estágio para o estádio e outros que tais.
Nada de ilusões para quem defende que Sócrates é apenas um cidadão como outro qualquer, só a contas a justiça sem quaisquer implicações políticas. Trata-se de mais um descarado sofisma que veiculam, porque estes advogados do diabo fazem não perceber que são figurantes assíduos em palco, precisamente pelas fortes implicações na vida política que o assunto tem.
A prática boa ou má, é a que tem sido frequente no âmbito dos passos da justiça com câmaras em riste, onde outros notáveis já foram grelhados em igual braseiro sem que se tenham notado grandes clamores.
De muitos quadrantes tem chovido lágrimas por Sócrates, muitas delas hipocritamente entornadas. Outras despudoradamente enxugadas como se, a confirmarem-se os crimes de que é suspeito, apenas o próprio seria atingido por alegadamente se tratar de questões pessoais. Se tais actos a serem reais foram praticados na qualidade de alta figura do Estado e do partido para favorecimento de terceiros e colheita de benefícios próprios outro galo terá que cantar.
Poderá em tal caso merecer cabimento uma teoria conspirativa calculando que alguns dos seus próximos não poderiam lavar daí as mãos no primeiro charco em qualquer valeta da estrada? A companhia fidelíssima do agora eleito secretário do partido também não se apaga num estalar de dedos, será bom lembrar.
Anda por aí uma tal indignação pelo método utilizado para caçar o homem, que é caso para perguntar por onde tal gente tem andado ou se tem estado a dormir. Inúmeras situações de pessoas que já levaram na pele com toda a espécie de emporcalhamento devem ter passado despercebidos.
No eixo do mal só faltou a versão bondosa de que estávamos a viver um sonho e que apenas tinha sido o tigre á solta em Paris a ser enjaulado por cá.
Levantar alguém politicamente morto e enterrar vivo quem o substituiu no topo da governação é uma febre que por ai anda.
Temos comunicação ou contaminação social?
Para o compor o ramalhete, no congresso e fora dele algumas pérolas intragáveis.
Como é costume por aquelas bandas aos costumes dizem nada. Quando uma proeminente figura nos vem dizer que tudo o que Costa rejeita é por si só um verdadeiro programa de governo está tudo mais que dito.
Mas não chegando isso, o Secretário empossado ainda vem desabafar que não fará acordos com quem tem conduzido a actual política.
Conviria contudo acrescentar que a prioritária e inadiável tarefa de limpar sarjetas agora, deriva do facto de alguém as ter deixado entupir antes.
Ao que não se aventuram, é em dizer-nos de que forma fariam se um dia vierem a ter que fazer.
Sem imagem de perfil

De Marquês Barão a 01.12.2014 às 21:10

Relatório emoldurado suporte de acusação frente a habeas corpus de libertação (continuação)
Segundo um recente ex presidente da república poderia concluir-se que Sócrates seria culpado até prova em contrário. Em 2005, o então Presidente da República defendia: “ inversão do ónus da prova deveria ser aplicada a medidas de natureza fiscal e de natureza penal que devem ser introduzidas no combate à corrupção”. (…)
Das mesmas bandas, outro ex presidente mais antigo, depois de um abuso ofensivo, arrogante e prepotente á porta de uma prisão não poderia ter sido chamado á justiça? Ou trata-se de estatuto vitalício de inimputável?
Eles aí estão na grandeza da própria pequenez.
Deixarem este preso nas circunstâncias que se conhecem falar com rodadas de amigos e companheiros, não pode constituir forte contributo para perturbar e contaminar a investigação? Mesmo sendo legal não se afigura convincente.
“É possível falar de Sócrates e da Justiça sem uma chuva de pedras?”
Claro que pode e deve.
Os estilhaços da pedreira sempre ocorrem quando se detona um rebentamentos, que
nunca deve assustar quando se procura a justiça.
“Para quem já foi lobo é difícil ser sacrificado como um bode”.
Há pedradas no charco que moem e até matam. E põem muita gente
á volta a sacudir-se.
“É muito mais difícil matar um fantasma do que matar uma realidade”
“Há pessoas neste mundo que gastam todo o seu tempo à procura da justiça, não lhes sobrando tempo algum para a praticarem.” – Billings Brown
Está dado o mote: Amigo aparece que em Sócrates não se mexe.
Sem imagem de perfil

De Carlos a 01.12.2014 às 21:37

A democracia não tem culpa de ter corruptos. Culpa tem uma assembleia da república que tem deputados que acumulam funções, com sociedade de advogados, para fazerem as leis que regem este país e onde o corrupto pode ser sempre ilibado. Culpa, temos todos nós, de termos deputados que quando estão na assembleia, fazem tudo, menos o que o dever lhes impõe. Culpa, temos todos nós que estamos sempre prontos a ouvir os fazedores de opinião e nos deixamos levar por essas opiniões que muitas vezes, são tudo, menos correctas. Para os tais opinadores, se a justiça não faz nada, é porque não temos justiça, se a justiça age é porque agiu mal. Que sabemos nós, para sabermos se a justiça está a agir mal ou bem? Nada, uma vez que nada sabemos, há que acreditar que a justiça está a fazer o que deve, se no fim chegarmos à conclusão que não o fez,então aí discuta-se que faz a justiça neste país.
Sem imagem de perfil

De Cabo dos Trabalhos a 01.12.2014 às 21:54

E a Octapharma, que direito terá de lançar um ex primeiro-ministro no desemprego, saneando-o sem mais nem menos? Qualquer dia o ex-primeiro-ministro ainda será forçado a regressar à sua actividade de projectista de casinholas.
Imagem de perfil

De cristof a 02.12.2014 às 12:49

Um hino á imbecilidade. Se tivesse uma organização mafiosa contratava este senhor para secretario ou porteiro.

Comentar post



O nosso livro


Apoie este livro.



Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D