Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Legislativas (30)

por Pedro Correia, em 09.09.09

 

 

DEBATE MANUELA FERREIRA LEITE-JERÓNIMO DE SOUSA

 

Este foi, de longe, o debate televisivo mais entediante da pré-campanha. Com um claro vencedor que não estava lá: José Sócrates. Manuela Ferreira Leite e Jerónimo de Sousa demonstraram esta noite, na TVI, que conseguem ser excelentes soporíferos, muito recomendáveis a quem sofre de insónias. Sócrates venceu porque estes seus dois antagonistas praticamente se esqueceram de fazer críticas ao Governo enquanto iam debitando propostas eleitorais em tom sofrível. A líder do PSD, agora preocupada em não perder eleitorado à esquerda, assegura que não tem "nenhuma proposta de tirar direitos aos trabalhadores".  Jerónimo, piscando um olho aos sociais-democratas, confessa não ter vislumbrado nenhuma 'asfixia democrática' na sua recente deslocação ao Funchal, frase logo aproveitada pela antiga ministra das Finanças: "Vamos à Madeira e, como disse o senhor deputado, não há lá nenhum sintoma de falta de liberdade."

Conclusão óbvia: depois de Sócrates, Jardim foi o segundo grande vencedor deste debate.

Jerónimo, além de ter ido à Madeira, parece ter feito também uma viagem no tempo, regressando à Inglaterra da Revolução Industrial: "A luta de classes é uma grande questão da sociedade." Marx haveria de gostar de ouvir este seu contemporâneo.

Manuela, por sua vez, esqueceu-se da obsessão pelo défice que marcou o seu mandato como titular pelas Finanças. "O equilíbrio das contas públicas já não é prioridade", declarou espantosamente a líder social-democrata, defendendo a redução da taxa social única. O ex-Presidente da República Jorge Sampaio, que garantia existir vida para além do défice quando o PSD era governo, haveria de gostar de ouvir esta recém-convertida à sua tese que também já foi entusiasta do TVG mas agora prefere o "investimento público de proximidade", seja lá o que isso for.

A dada altura, pareciam ambos concorrentes a um concurso de lugares-comuns. Manuela: "A responsabilidade social das empresas tem de estar sempre presente." Jerónimo: "Os juízes são órgãos de soberania." Manuela: "A justiça é um dos pilares da nossa democracia." Jerónimo: "O povo português, se há coisa de que gosta, é da liberdade."

Conversa mole, que quase nem parecia de dois dirigentes da oposição. Ferreira Leite só revelou uma ligeira vantagem em relação a Jerónimo: soube olhá-lo de frente. O líder comunista ainda não aprendeu que nestes debates deve levantar a cabeça, olhar quase nada para os papéis e encarar sem complexos os seus interlocutores. Pela quarta vez em seis dias demonstrou que tem uma enorme dificuldade em proceder assim. O que diria Marx disto?

Autoria e outros dados (tags, etc)


13 comentários

Imagem de perfil

De Carlos Barbosa de Oliveira a 09.09.2009 às 23:50

Sem tirar nem pôr, Pedro. Foi, como dizes, um sonorífero que deve ter agradado a Sócrates.
Ao fim de 5 minutos já MFL tinha falado 74 vezes das PME e da necessidade de as defender. Curiosamente, foi ela que ajudou a destruir muitas quando foi ministra das finanças. Bem, as isso agora não interessa nada. Daqui em diante, quando estiver com insónias ponho-me a ver a gravação deste debate. Tão medíocreque hoj nem sequer faço comentário.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 09.09.2009 às 23:54

Fazes bem, Carlos. Nem imaginas o que me custou fazer este.
Abraço
Imagem de perfil

De Teresa Ribeiro a 09.09.2009 às 23:51

Ah... o debate já acabou? Zzzzzzzzzzzzz
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 09.09.2009 às 23:54

ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZzzzzzzzzzzzzzz
Sem imagem de perfil

De António Luís a 10.09.2009 às 00:04

O seu comentário, remete-me para um raciocínio muito básico, pese embora certeiro - e o tempo o confirmará...
O vencedor em 27 de Setembro está encontrado.
As coisas são o que são, adore-se ou deteste-se!...

Cumprimentos.
A. Luís
Sem imagem de perfil

De toulixado a 10.09.2009 às 00:15

Com um pouco mais de honestidade terias dito que Jerónimo de Sousa isolou precisamente o povo madeirense de Alberto João. Mas é como dizes estavas a dormir, ou será outra coisa?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 10.09.2009 às 00:26

Estava bem acordado quando ouvi essa parte, que tanto jeito deu a Manuela Ferreira Leite. A líder do PSD logo pegou nessas frases em abono da sua tese, sem uma palavrinha de réplica de Jerónimo. Achei uma ternura, acredita. Gosto de filmes assim, com final feliz. Só faltou mesmo ouvi-lo chamar 'camarada' a Jardim.
Imagem de perfil

De ariel a 10.09.2009 às 00:20

Não vi. Depois de me ter enervado com o jogo da selecção, (mas que miséria) achei que não aguentava segunda dose.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 10.09.2009 às 00:27

Que miséria, Ariel. O debate foi o prolongamento do jogo.
Sem imagem de perfil

De Rui Daniel a 10.09.2009 às 00:33

Pois é, Pedro. O que também é verdade é que ser oposição, independentemente de ser líder, ou legítimo representante dos trabalhadores (esta questão da legitimação da representação, é quase tão boa com o ressuscitar da luta de classes...) dá trabalho. Quem se propõe ganhar eleições para 4 anos, tem o mais eficaz meio de comunicação ao seu dispor, ainda por cima sem gastos, e derperdiça o momento, só tem um nome - incompetência. E digo isto com mágoa, porque me parece que cada vez mais andamos a discutir o futuro de um país, as tais propostas que implicam as futuras gerações, e o nível é abaixo da fasquia média de algumas conversa tidas nas ditas redes sociais.
Claro que a classe política não é, do meu ponto de vista, as árvores que por vezes teimosamente mais visibilidade têm nos meios de comunicação social. Mas temo,, também que o entusiasmo que estes debates suscitam entre os mais jovens, sejam a melhor forma de os afastar da actividade política, e do desacreditar nessa que considero (talvez o Sérgio aqui me acompanhe) uma das mais nobres actividades do homem.
Se não é pelos comícios, nem pelos outdoors, nem pelos debates televisivos que vamos perceber o que esta oposição tem para nos oferecer como alternativa, resta-nos continuar a acreditar naquela insustentável leveza do bom senso dos eleitores que conseguem descrutinar sinais de mudança para além destas sessões dignas, como hoje já li, dos melhores momentos da TV memória.
Rui
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 10.09.2009 às 11:32

Caro Rui, sublinho estas tuas palavras: "Quem se propõe ganhar eleições para 4 anos, tem o mais eficaz meio de comunicação ao seu dispor, ainda por cima sem gastos, e derperdiça o momento, só tem um nome - incompetência."
E dou-te toda a razão.
Sem imagem de perfil

De Sérgio de Almeida Correia a 10.09.2009 às 13:01

Caro Rui,

Só não concordo num ponto: a política não é uma das mais nobres actividades do homem, é a mais nobre. Mas poucos, cada vez menos, entendem isso e a sua importância para a dignificação do homem, para a construção de uma cidadania exemplar e de um país decente. Essa é talvez a minha maior mágoa ao fim de mais de 30 anos de democracia. Por isso somos tão pequeninos, tão canhestros, e às vezes tão maus.
Abraço,
Imagem de perfil

De João Carvalho a 10.09.2009 às 03:27

Eu achei que... zzzz...zzzzzz... os dois da mesma geração... zzzzzzzzzzzz... ali... zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz...

Comentar post





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D