Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Legislativas (27)

por Pedro Correia, em 06.09.09

  

DEBATE MANUELA FERREIRA LEITE-FRANCISCO LOUÇÃ

 

O jogo das expectativas também conta para a avaliação das prestações dos políticos nos debates. Manuela Ferreira Leite beneficiou de algum modo desse factor no frente-a-frente que hoje a opôs a Francisco Louçã na TVI. As expectativas gerais, para o desempenho desta estreante em debates, eram mais baixas. Daí talvez a sensação de que a líder do PSD não tenha estado tão mal como alguns previam. Feito este intróito, há que dizer que algumas das suas fragilidades ficaram bem patentes esta noite. Dou apenas um exemplo: enquanto o seu antagonista, provando que tinha feito o trabalho de casa, conhecia bem o programa eleitoral social-democrata, ela jamais demonstrou ter lido uma só linha do programa bloquista. O que, aliás, proporcionou a Louçã uma das frases da noite: "Está a fugir do seu programa como o diabo da cruz". Dir-se-á que é uma questão de pormenor. Não é, para quem ambiciona ter responsabilidades governativas.

Ferreira Leite, acossada por Louçã, jogou demasiado à defesa, gastando preciosos minutos a tentar desfazer imputações do líder do Bloco. "Nunca pus em causa o Serviço Nacional de Saúde"; "Nunca quis privatizar a segurança social"; "Nunca defendi que devem ser despedidos 150 mil funcionários públicos". Na segurança social, terá surpreendido alguns ao elogiar a reforma feita pelo Governo socialista, que "resolveu o problema iminente da ruptura" do sistema.

Num confronto entre economistas, ficaram evidentes as diferenças entre um PSD que quer diminuir o peso do Estado na sociedade e um BE assumidamente estatizante. "Estamos a empobrecer por causa de um sistema económico que não está a gerar riqueza", disse Ferreira Leite. "Não faz nenhum sentido, de certeza absoluta, privatizar bens essenciais", afirmou Louçã. Neste capítulo, a líder do PSD marcou pontos ao evocar as 300 mil pequenas e médias empresas portuguesas, nas quais "assenta o essencial do nosso sistema produtivo". Mas o bloquista foi mais convincente na questão do desemprego ao lembrar os cerca de cem mil desempregados que não constam das estatísticas oficiais por terem desistido de bater à porta dos inúteis centros de emprego.

É cada vez mais óbvio que o BE está a disputar ao PCP protagonismo nas questões laborais. Mas os célebres temas 'fracturantes' permanecem no discurso bloquista. E aqui foram mais evidentes que nunca as divergências entre os dois políticos. O estatista Louçã, nestas matérias, advoga o Estado mínimo, com frases grandilonquentes como esta: "O Estado não dita o amor de uma pessoa." Já Ferreira Leite assume posições mais próximas da direita conservadora do que da social-democracia clássica. Maria José Nogueira Pinto, candidata número 4 do PSD por Lisboa, certamente aplaude a sua recusa categórica em legalizar os casamentos homossexuais. Mas tenho dúvidas se muitos eleitores do centro, de cujo voto Ferreira Leite tanto necessitará no dia 27, se revêem neste discurso. Coube-lhe aqui, de qualquer modo, a sua melhor tirada neste frente-a-frente: "Eu defendo o casamento mas não imponho o casamento. Francisco Louçã não defende o casamento, mas impõe o casamento."

Dito isto, há um lapso que a presidente do PSD tem de corrigir com urgência: a sua tendência em 'privatizar' o programa social-democrata. Esta noite ouvimo-la falar várias vezes no "meu [seu] programa", referindo-se às propostas eleitorais do partido. Ora, salvo melhor opinião, o programa não é dela: é do PSD. E, até prova em contrário, ela não se confunde com o partido. Embora alguns dos seus acólitos por vezes pareçam esquecer-se disso.

Autoria e outros dados (tags, etc)


11 comentários

Sem imagem de perfil

De tricAcólito a 06.09.2009 às 22:27

"Ouvi-a falar várias vezes no "meu [seu] programa", referindo-se às propostas eleitorais do partido. Ora, salvo melhor opinião, o programa não é dela: é do PSD. E, até prova em contrário, ela não se confunde com o partido. Embora alguns dos seus acólitos por vezes pareçam esquecer-se disso."

mas tem que estar de acordo que a Drª Manuela Ferreira Leite fala para gente inteligente, logo certamente, toda a gente perceberá que quando diz " o meu programa" se esta a referir ao Programa do PSD ! é impressionante as coisas que vão buscar para criticar a Drª MFL ...
Imagem de perfil

De João Carvalho a 06.09.2009 às 22:33

Impressionante é o detalhe daquilo que o irrita. Faz-me rir.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 06.09.2009 às 22:35

Manuela Ferreira Leite, às tantas, disse o mesmo que dizia o outro: «É a vida.» Por acaso, era sobre Saúde.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 06.09.2009 às 22:42

Deve ter uma costela guterrista. O Jerónimo de Sousa, no debate com o Louçã, também usou duas vezes o 'slogan' eleitoral do PSD: 'política de verdade'. Eles gostam de copiar-se uns aos outros.
Sem imagem de perfil

De José Maria Pimentel a 06.09.2009 às 22:59

A forma titubeante como MFL lidou com os temas de costumes, nomeadamente o casamento dos homossexuais, pode bem ter sido o facto mais relevante deste debate. Meses depois daquela entrevista difícil, era de pensar que tivesse refeito a "embalagem" da sua posição. Louçã, diga-se, até poderia ter aproveitado melhor!
Imagem de perfil

De João Carvalho a 06.09.2009 às 23:34

Mas ela andou melhor do que se esperava. E aquele tom de sacristia dele já é insuportável, meu caro.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 06.09.2009 às 23:41

Deve ser. Se fosse fanhoso podia ser gripe. Hehe...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 07.09.2009 às 00:30

Louçã é um dos mais eficazes políticos portugueses neste tipo de debate. Paulo Portas, idem. Nas anteriores eleições, recordo, um dos debates mais interessantes foi Louçã-Portas, que o líder bloquista perdeu devido a uma frase infeliz. O próximo debate Louçã-Portas será certamente também muito interessante. E o debate Louçã-Sócrates, por motivos óbvios. Talvez até mais do que o debate F.Leite-Sócrates.
Sem imagem de perfil

De João André a 07.09.2009 às 09:19

Creio que as referências ao "meu programa" é precisamente para transmitir a ideia de uma verdadeira líder, não a de uma tecnocrata que ali está com um programa feito em Belém. Nesse aspecto penso que MFL tem mais a ganhar do que a perder.
Sem imagem de perfil

De Luís Lavoura a 07.09.2009 às 10:38

"a líder do PSD marcou pontos ao evocar as 300 mil pequenas e médias empresas"

Marcou ponto, por quê?

Em que é que as pequenas empresas são melhores ou mais importantes do que as grandes?

Eu diria que as grandes empresas são muito melhores do que as pequenas em diversos aspetos. Exportam mais. Têm tecnologia mais elevada. E, sobretudo, tratam melhor o ambiente, os seus trabalhadores, e o fisco. Nas grandes empresas o fisco pode ser enganado, mas é-o recorrendo a expedientes legais, os trabalhadores têm contratos de trabalho e recebem indemnizações quando são despedidos, e os efluentes e lixos são devidamente tratados. Nas pequenas empresas é a porcaria que se sabe: trabalhadores sem contrato, pagamentos ao fisco é vê-los, e a água suja é deitada na ribeira mais próxima.

Comentar post





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D