Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Amar, amar perdidamente...

por Ana Vidal, em 04.09.09

Desengane-se quem pensou que o discurso político em Portugal está esgotado. Bem sei que quase tudo já nos foi prometido e depois negado, bem sei que os programas e declarações de intenção não nos arrancam já mais do que um encolher de ombros enfastiado e descrente, bem sei que um irreprimível bocejo é a nossa resposta mais frequente à previsibilidade dos debates eleitorais.

 

Mas... atenção, muita atenção: a zona onde vivo acordou um dia destes com uma ideia nova, fresca, inesperada, brilhante. Há uma sorridente senhora do PS que promete ensinar-nos a... AMAR! Isso mesmo, leram bem. A nova Florbela não explicou ainda como pretende fazê-lo, é certo. Ficamos sem saber se vai fundar uma nova seita religiosa, abrir um bar de alterne, uma sex shop ou um motel de estrada (já há alguns por aqui, e por sinal o outdoor que apregoa as maravilhas de um deles está a poucos metros de um dos cartazes da criativa candidata do PS) ou se irá ministrar cursos práticos de kamasutra aplicado, mas alguma ideia estará por detrás daquele sorriso confiante. O penteado, a idade, a pose, a roupa, apontam para uma solução respeitável. Mas o sorriso é maroto e há ali um dentinho desalinhado que me deixa inquieta. O que será que vai na cabeça de Leonor Coutinho? Como será que ela nos quer pôr a amar melhor do que até aqui? E porque achará a senhora que em Cascais se ama pouco, ou mal? Tenho pena de já não votar em Cascais. Juro que lhe daria o meu voto, só para ver este enigma resolvido.

 

 

(Agora a sério: será possível que ninguém se tenha apercebido de que este slogan perde completamente o efeito de trocadilho quando passa da expressão oral à escrita? Se a ideia era sugerir que o concelho de Cascais, pela mão do PS, vai "saber a mar" por mais cuidados com o ambiente, menor poluição, melhor qualidade de vida, sei lá... a verdade é que, da mensagem, fica só o ridículo de uma promessa que mais parece saída de um pastor da IURD, para não dizer pior. Entretanto, Capucho agradece e dorme mais descansado.)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


43 comentários

Sem imagem de perfil

De Carlos Pimentel a 04.09.2009 às 03:10

Ora bolas, esta prosa e mais o cartaz fez-me lembrar uma música dos 'Delfins'; é preciso ter cuidado, é necessário não nos precipitarmos e ler com toda a atenção, a imagem passa e, dear Ana, caso não saiba, em política aquilo que parece é.

É.
Sem imagem de perfil

De João Sousa a 04.09.2009 às 08:31

Leonor Coutinho e Delfins logo de manhã - será possível piorar a coisa?
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 04.09.2009 às 11:26

Duvido...
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 04.09.2009 às 11:19

E o que é que "é" para si neste caso, que eu não percebi, Carlos?
Sem imagem de perfil

De Luís Reis Figueira a 04.09.2009 às 05:41

Olá Ana! Este cartaz é um must e encaixava na perfeição na sua série 'silly season'. Na verdade, a julgar pela amostra junta, não me parece que a respeitável senhora possa dar algumas dicas úteis no sentido apontado pelo cartaz. E também não me parece que saiba a mar. Que tenha uma levíssima lembrança do cheiro a maresia, vá lá, ainda concedo, mas mais do que isso, não me parece.
Este outdoor é um verdadeiro desastre, um autêntico erro de casting em termos comunicacionais.
Um abraço ;-)
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 04.09.2009 às 11:29

Olá, Luís. Não seja tão severo com a senhora, às vezes as lições vêm de onde menos se espera...
Mas, em termos políticos, o cartaz é mesmo um desastre.
Abraço :-)
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 04.09.2009 às 09:14

Os estrategos da senhora poderiam ter avolumado a coisa e publicado no cartaz:
AMAR E AMAR HÁ IR E VOTAR.
Então é que ficava mesmo uma perfeição...

(Ana, hás-de ver também o da Elisa Ferreira no Porto, que é outra pérola)
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 04.09.2009 às 11:31

Excelente, essa proposta. Ainda te contratam para a próxima campanha...
Vou procurar o da Elisa Ferreira, que não conheço. Onde é que irão desencantar estes criativos?
Sem imagem de perfil

De Daniela Major a 05.09.2009 às 00:18

Cara Ana no meu blogue está o da Elisa. Bom post ;)
Sem imagem de perfil

De hot legs a 04.09.2009 às 09:31

"Amar e amar há ir e voltar", hen? ficava perfeito, não era? ai os homens...
Sem imagem de perfil

De fresta fininha a 04.09.2009 às 09:35

eu gosto muito deste cartaz.
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 04.09.2009 às 11:31

Nem me atrevo a perguntar porquê...
Imagem de perfil

De Teresa Ribeiro a 04.09.2009 às 09:48

Tens toda a razão, Ana. Fantástico é como há tipos que são pagos e muito bem pagos para cuidar destes detalhes e asneiram desta forma.
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 04.09.2009 às 11:38

Mesmo que seja só uma candidatura para cumprir calendário, como diz a Ariel, a rendição escusava de ser tão óbvia. E tão ridícula.
Sem imagem de perfil

De Desconhecido a 04.09.2009 às 09:56

Qual asneiraram qual carapuça.

O Slogan está certo.... Ou já se esqueceram do episodio do BMW quando ela era Secretária de Estado da Habitação?

É muito amor...
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 04.09.2009 às 11:38

Não me lembro disso... conte lá.
Imagem de perfil

De Carlos Barbosa de Oliveira a 04.09.2009 às 14:01

Não te lembras, Ana? Olha que esse episódio ficou nos anais da história política xuxialista. Puxa lá bem pela memória...
Já agora, aproveito para dizer que ainda não vi um único cartaz, seja de que partido for, que desperte um mínimo de atenção, faça esboçar um sorriso ou provoque algum empolgamento.
Gostava de saber é se esta sensaboria é culpa dos criativos, ou dos próprios políticos que estão cada vez mais cinzentos.
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 04.09.2009 às 16:26

Desculpa lá mas não concordo. Este faz sorrir. Mais: faz rir à gargalhada.
Sim, já me lembro do episódio do BMW, Carlos. Abstenho-me de fazer ironias sobre essa história triste.
Imagem de perfil

De ariel a 04.09.2009 às 10:52

Há um cartaz colocado junto aos semáforos à saída de S.João , na marginal e eu distrai-me a ler e até ia batendo no carro da frente. Esta é uma candidatura claramente para marcar o ponto, cumprir calendário, não tem ambições. Normalmente quando assim é os recursos não são grandes e os bons criativos andam por outras paragens. Com o mesmo conceito podia-se ter feito melhor, mas há coisas bem piores Ana. Atrevo-me até a pensar poderá ter sido inspirado no caso de um antigo Edil era da AD que deu uma "escaldante" entrevista a dizer que gostava muito de fazer amor no chão junto à lareira. Cascais é muito inspiradora.
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 04.09.2009 às 13:20

Há sempre pior, Ariel. Mas este cartaz é mau, muito mau mesmo. Como já disse, a desistência escusava de ser tão óbvia.
E Cascais é mesmo muito inspiradora, Ariel!
:-)
Imagem de perfil

De João Carvalho a 04.09.2009 às 11:20

Uns vão dormir, outros querem amar. É a vida.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 04.09.2009 às 11:33

O trocadilho neste tipo de comunicação escrita pode resultar, como sabes, à custa do movimento de cor e de 'lettering'. Mas é muita areia para tão pouco mar...
Imagem de perfil

De ariel a 04.09.2009 às 12:24

Nisso estamos completamente de acordo João.
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 04.09.2009 às 13:12

Sim, tens razão, mas não foi isso que fizeram. E mesmo assim a mensagem peremptória seia descabida, porque Cascais já "sabe a mar" há muito tempo. E quanto a "saber amar", já vivo por cá há bastantes anos e não tenho queixas...
Imagem de perfil

De João Carvalho a 04.09.2009 às 15:12

Ainda bem. Posso, pois, concluir que ela ou os criativos é que têm razão de queixa...
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 04.09.2009 às 15:47

Deve ser isso. :-)
Sem imagem de perfil

De Sérgio de Almeida Correia a 04.09.2009 às 12:16

O que me espanta é que haja gente do marketing e da publicidade a ganhar fortunas por fazer coisas destas. Há coisas que deviam ser do senso comum, mas inexplicavelmente continuam a não ser.
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 04.09.2009 às 13:13

Isso também é o que mais me espanta, Sérgio. Nunca houve tantos cursos de comunicação, mestrados, doutoramentos... e depois falham no que é mais básico.
Imagem de perfil

De Carlos Barbosa de Oliveira a 04.09.2009 às 14:04

E também nunca houve tantos cursos de jornalismo e de ciências da comunicação, mas o jornalismo que por cá se faz é cada vez pior!

Comentar post


Pág. 1/2



O nosso livro


Apoie este livro.



Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D