Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O lamentável caso TVI

por J.M. Coutinho Ribeiro, em 03.09.09

Não sendo especial adepto do jornalismo de Manuela Moura Guedes, nem do seu jornal das 6ªs feiras, fico, ainda assim, perplexo com a anunciada decisão da administração da TVI de suspender o programa. Sobretudo depois de se ter tornado público que seria transmitida uma peça sobre o caso Freeport.

Se, apesar da suspensão do programa, a peça for para o ar em algum serviço noticioso da TVI, a situação será menos grave. Se não for para o ar, dificilmente algum português ficará convencido de que a suspensão do programa não teve a ver com o Freeport e que o governo não teve a ver com a suspensão do jornal.

Apontemos para a segunda hipótese. E, nesse caso, seremos levados a pensar que algo de muito grave seria revelado na reportagem sobre o Freeport. Só assim se percebe que José Sócrates tenha optado por pôr a cabeça a jeito, sujeitando-se à suspeição de ter interferido nos critérios editoriais da TVI.

A questão que sobra é a seguinte: quem irá ser o próximo director de informação da TVI? Há, no meio, quem aponte para Emídio Rangel. Ora, se tal acontecer, passa o canal a ser liderado por um impenitente "socratista". E, aí, ficaremos completamente esclarecidos sobre a forma como este governo lida com a comunicação social. E sobre a forma como (alguma) comunicação social se deixa domar pelo poder. Lamentável, num caso e noutro.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


38 comentários

Sem imagem de perfil

De Leonel Vicente a 03.09.2009 às 16:41

Qual será o impedimento para que «algo de muito grave [que] seria revelado na reportagem sobre o Freeport» não possa, por qualquer outra forma, vir a ser revelado?
Imagem de perfil

De J.M. Coutinho Ribeiro a 03.09.2009 às 17:55

Pois. Espero bem que seja revelado. Nem que seja através do youtube...
Imagem de perfil

De João Carvalho a 03.09.2009 às 16:50

Tenho de concordar contigo, Joaquim. E concluo na mesma: lamentável. E grave, muito grave.
Imagem de perfil

De J.M. Coutinho Ribeiro a 03.09.2009 às 17:56

Sinais preocupantes, meu caro.
Imagem de perfil

De Carlos Barbosa de Oliveira a 03.09.2009 às 17:14

Concordaria contigo, Joaquim, se os anteriores episódios da novela "Freeport" tivessem alguma substância. Pelo que vi, foi muito show e pouca substância.
Embora não nutra qualquer simpatia por Sócrates, considero-o inteligente e não acredito que fosse dar um trunfo à oposição, interferindo na TVI em período de campanha. Seria erro de principante...
Acredito é que alguém pretenda dar essa imagem e tudo isto tenha sido muito bem urdido pela oposição. Eu ainda me lembro como e onde foi forjado o boato sobre a homossexualidade de Sócrates... A partir daí, tudo me parece possível.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 03.09.2009 às 17:22

É uma possibilidade. E o caso TVI continua onscuro, ainda assim. Presumo que reconheces não ser sequer necessário gostar da Manuela Moura Guedes para sentir que tudo aquilo cheira a esturro, seja lá a favor de quem for.
Imagem de perfil

De Carlos Barbosa de Oliveira a 03.09.2009 às 18:03

Claro que cheira a esturro, João, mas aprendi desde miúdo, através da leitura dos policiais, que na maioria das situações o criminoso não é aquele para quem todos apontam. Desconfio sempre do óbvio. O jornalismo também me ensinou isso.
Nada tenho contra MMG, salvo achar que confunde jornalismo com outras coisas que um jornalista não deve misturar. Tenho até mais razões de queixa de Sócrates, mas não gosto de me deixar ir na onda...
Imagem de perfil

De J.M. Coutinho Ribeiro a 03.09.2009 às 17:59

Carlos: admito que as anteriores peças sobreo Freeport não sejam um bom exemplo de rigor informatrivo. Mas não eram inócuas do ponto de vista informativo.
Sócrates inteligente? Talvez seja. E daí a minha perplexidade, revelada no post. Que raio de peça estaria para ser transmitida, que poderá ter levado Sócrates a correr este risco?
Mas se Sócartes for mesmo inteligente, então vai ter de demonstrar aos portugueses que não teve nada a ver com o assunto. Porque, até lá, o que parece é.
Imagem de perfil

De Carlos Barbosa de Oliveira a 03.09.2009 às 18:12

Joaquim:
Inócuas não eram mesmo...
Quando falo de inteligência em Sócrates, refiro-me apenas ao aspecto político.Esqueci-me de fazer essa ressalva...
Será difícil a Sócrates demonstrar que não teve nada com o assunto. Lançar uma acusação ou um boato ( infelizmente actos tão comuns nesta nossa comunicação social) é fácil, defender-se dela é mais difícil, como muito bem sabes. Por isso, nestes casos, não me parece que seja aplicável a inversão do ónus da prova.
Não vejo por que razão a TVI não há-de exibir a peça de MMG. Mas, se o não fizer, MMG pode bem revelar numa próxima entrevista o que lá descobriu. E, já agora, aproveitar para provar que foi despedida por pressão de Sócrates.
Imagem de perfil

De J.M. Coutinho Ribeiro a 03.09.2009 às 22:31

O facto da peça ser ou não transmitida dirá muito sobre este assunto, Carlos.
Imagem de perfil

De Carlos Barbosa de Oliveira a 03.09.2009 às 23:19

Não tenho a mínima dúvida, Joaquim. É aí que está achve da questão. Mas, repito, se a TVI não a transmitir, MMG tem obrigação de dizer o que terá descoberto. Caso contrário, é legítimo duvidar se tal peça existia.
Imagem de perfil

De J.M. Coutinho Ribeiro a 04.09.2009 às 02:06

Inteiramente de acordo, meu caro.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 03.09.2009 às 17:32

A 23 de Abril, José Sócrates queixou-se em entrevista à RTP das "campanhas negras" da TVI. Daí ao afastamento de José Eduardo Moniz foi uma curta distância de quatro meses. Daí ao afastamento de MMG e da direcção de informação do canal foram só mais uns dias. E assim se decapita um projecto líder em audiência e receitas publicitárias."É o mercado a funcionar", dirão alguns. Mas não é.
Imagem de perfil

De Carlos Barbosa de Oliveira a 03.09.2009 às 17:47

Ó Pedro! Não me digas que o afastamento de JEM foi da responsabilidade do Sócrates... Terá sido ele a sugerir a JEM que se candidatasse a presidente do SLB ou, pelo contrário, foi ele que o dissuadiu?
Imagem de perfil

De J.M. Coutinho Ribeiro a 03.09.2009 às 18:02

Lá voltamos ao mesmo: enquanto não for demonstrado o contrário, o que parece é. E há aqui demasiadas coincidências: o afastamento de Moniz e a suspensão do jornal de MMG. Sem esquecer o que Sócrates disse de ambos em entrevista televisiva. Contam-me que a Prisa está a precisar de dinheiro como de pão para a boca. E isso pode justificar muitas coisas.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 03.09.2009 às 19:30

Em política, o que parece é. Só ouvi o primeiro-ministro protestar contra a TVI. Nunca ouvi ninguém dos restantes partidos protestar contra a TVI. O primeiro-ministro usou mesmo a TVI como um dos principais ingredientes do discurso de encerramento do congresso do PS. Falou da TVI e do 'Público'. Foi há menos de cinco meses.
Imagem de perfil

De J.M. Coutinho Ribeiro a 03.09.2009 às 22:32

Pois. O que parece é. E na política - e ao contrário do direito - muitas vezes o ónus da prova tem de ser invertido.
Sem imagem de perfil

De mdsol a 03.09.2009 às 17:52

Hummm. Não estou a captar.
:(
Sem imagem de perfil

De José Luiz Sarmento a 03.09.2009 às 17:36

Se o Jornal Nacional foi suprimido para impedir que fossem lançadas novas suspeitas sobre o caso Freeport, o tiro vai sair pela culatra, porque só as reforça. Mas isto vai-se ver já hoje ou amanhã.

Quanto à hipótese aqui levantada de José Sócrates ser demasiado inteligente para ser corrupto, não me convence. Primeiro, porque não é especialmente inteligente; e segundo, porque a inteligência nunca impediu nenhum político de ser corrupto.

Por vezes até ajuda: por se saber inteligente, o sujeito reforça a sensação de impunidade que lhe advém de viver numa torre de marfim. É por isso que tantas vezes assistimos, atónitos, a actos da mais incrível estupidez cometidos por pessoas altamente inteligentes.

Quanto a mim, não sei se José Sócrates é corrupto ou não na acepção jurídica do termo. Na acepção política, sei que é, como são todos os políticos e empresários que apostam na convertibilidade recíproca entre riqueza e poder.

E também sei que é pelo menos meio trafulha. Basta isto para me impedir de votar nele.
Imagem de perfil

De J.M. Coutinho Ribeiro a 03.09.2009 às 18:03

Ou, então, teremos de concluir que a publicação da peça seria mais danosa para Sócrates do que a suspeita de que tenha interferido na suspensão do jornal.
Imagem de perfil

De Teresa Ribeiro a 03.09.2009 às 19:36

Disseste tudo, Joaquim. E sublinhaste bem o que interessa neste último comentário que fizeste. Seria inevitável Sócrates ficar sob suspeita em vésperas de eleições, por isso se realmente forçou estes despedimentos na TVI é impossível evitar especular sobre a importância das cachas sobre o Freeport. Sócrates só se safa se entretanto a montanha parir um rato e o que constar não for comprometedor para ele. Também não é dispiciendo o nome que surgir para director da TVI, é claro.
Imagem de perfil

De J.M. Coutinho Ribeiro a 03.09.2009 às 22:34

Precisamente, Teresa.
Sem imagem de perfil

De Amêijoa Fresca a 03.09.2009 às 20:15

Lábios avermelhados
destacados na televisão,
muitos casos empilhados
que lançaram confusão.

Um nariz proeminente
habituado à confusão,
noutro caso imponente
de questionável razão.
Imagem de perfil

De J.M. Coutinho Ribeiro a 03.09.2009 às 22:35

Em verso fica muito melhor, amêijoa :-)
Imagem de perfil

De José Carlos Pereira a 04.09.2009 às 00:21

É fácil cavalgar a onda: JEM e MMG são as vítimas, Sócrates é o carrasco por interpostas mãos. Sócrates já veio negar veementemente e Santos Silva condenou a atitude da TVI. Sim, mas não chega porque estes homens não gostam da palavra "verdade" - MFL dixit.
E que tal pensar que nenhum accionista gosta de tamanha exposição? E que nenhum accionista que precise de vender gosta de ter "produtos" incómodos para o mercado? E que nenhum accionista da comunicação social gosta de ser ele a notícia? Por que ninguém recorda já que MMG foi deputada do CDS-PP ao lado de Portas - não é essa promiscuidade mais escandalosa?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 04.09.2009 às 00:25

Sejamos sérios: o que tem o facto de MMG ter sido deputada do CDS, por breves meses, há 15 anos com o sucedido agora? Raul Rego, uma figura histórica do PS, acumulou funções de deputado socialista com a direcção de um jornal - repito: acumulou - e que eu saiba ninguém o acusou da "promiscuidade mais escandalosa". Estamos a descer ao nível da conversa de café, que é um dos piores defeitos existentes em Portugal.
Imagem de perfil

De José Carlos Pereira a 04.09.2009 às 00:37

Não consigo comparar Raul Rego e Manuela Moura Guedes. Nem o tempo, nem o modo. Mas, já agora, como classifica o jornalismo praticado no Jornal Nacional de MMG?
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 04.09.2009 às 00:45

Foi você que puxou o facto de ela ter sido deputada, não eu. Quanto à pergunta que me faz, respondo-lhe parafraseando Mário Bettencourt Resendes, que há pouco fez esta declaração na SIC: "Portugal é um país menos plural sem o Jornal da Manuela Moura Guedes."
Está tudo dito quanto ao que penso.
Imagem de perfil

De J.M. Coutinho Ribeiro a 04.09.2009 às 02:09

Aliás, José, o Sócrates perdeu muito tempo a explicar-se. Não cheguei a ouvir as declarações, mas vi as imagens. E insisto: são demasiadas coincidências para serem coincidências. De resto, o jornal andava até a ser promvido diariamente. Talvez se perceba melhor se MMG contar o que se passou na reunião entre um administrador e a direcção de informação na véspera...
Imagem de perfil

De J.M. Coutinho Ribeiro a 04.09.2009 às 02:11

Às vezes, situações extraordinárias justificam jornalismo extraordinário.
Imagem de perfil

De José Carlos Pereira a 04.09.2009 às 23:57

A entrevista de hoje de MMG à revista do JN/DN é elucidativa das qualidades e valores da senhora. Quem assim fala da sua administração ou queria forçar o que aconteceu ou então...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 05.09.2009 às 00:00

E você, José Carlos Pereira? Está do lado da liberdade de expressão ou do lado da mordaça?
Imagem de perfil

De José Carlos Pereira a 05.09.2009 às 00:50

Completamente do lado da liberdade de expressão. O "Jornal Nacional" nunca me incomodou, desde logo porque só ouço os seus ecos - nunca o vi. O que me incomoda é este "bruá" em torno da decisão e a necessidade de atirar as culpas para Sócrates e os seus amigos espanhóis, sem escrutínio.
MMG esteve afastada muito tempo e, se calhar, só voltou à antena porque JEM era o director-geral. Quem é o jornalista que aprecia aquele estilo? Noutras circunstâncias, quem é que verdadeiramente lamentaria o fim do programa? Estou longe de crer que a liberdade de expressão responsável, aquela por que muitos lutaram, esteja em causa.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 05.09.2009 às 01:05

Atenção, José Carlos: a liberdade de expressão é muito mais frágil do que supomos, jamais é uma 'conquista irreversível'. Hoje é vítima dela alguém de que você não gosta, alguém que você detesta, alguém que está nos seus antípodas; amanhã será vítima alguém de quem você está muito próximo - ou você mesmo.
Não me interessa aqui discutir o conteúdo do Jornal de Sexta, do qual nunca fui espectador por motivos que não vêm ao caso. Interessa, isso sim, analisar o que sucedeu ontem na TVI com um telediário que - note bem - era líder de audiências, com um milhão e duzentos mil espectadores/média. Quando isto sucede com um líder de mercado, o que não sucederá quando bastar o simples argumento «empresarial» - não vende papel, não atrai audiências, toca a fechar, toca a despedir.
É este o pano de fundo que me interessa discutir, que ultrapassa em muito o caso Moura Guedes mas de que o caso Moura Guedes é um evidente sintoma.
Imagem de perfil

De José Carlos Pereira a 05.09.2009 às 01:16

Percebo o ponto e a preocupação. Mas o que se pode fazer quanto a isso? As empresas de comunicação social também são "empresas". E vemos por esse mundo fora muitos investidores em comunicação social sem qualquer especial apetência pela área. É só o business a comandar. E isso deve ser uma preocupação para todos nós.
Sem imagem de perfil

De Ricardo B a 05.09.2009 às 16:39

Caro Pedro Correia,
o Jornal Nacional tem vindo a perder audiências nos últimos meses, sendo ultrapassado pelo Telejornal e Jornal da Noite.
A TVI24, lançada em Fevereiro desde ano, também não descola do 3º lugar.

A TVI em geral tem vindo a perder audiências, registando os níveis mais baixos desde 2000 -- embora continue a ser líder.

Talvez isto tenha pesado na decisão.
Sem imagem de perfil

De Teresa Augusta Pires a 07.09.2009 às 23:22

Inteiramente de acordo em relação á hipotese levantada para os destinos de Emídio Rangel. Escrevo isto depois do Jornal Nacional de sexta ter exibido a peça, sem qualquer acrescento notável, mas, enfim, continuemos, e de seguida ter visto na RTPN, a discussão entre Carlos Amorim e o próprio Emídio, e tive exactamente esse pensamento: é próximo director geral.Bom palpite JM Coutinho Ribeiro.

Comentar post





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D