Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Legislativas (23)

por Pedro Correia, em 02.09.09

  

DEBATE JOSÉ SÓCRATES-PAULO PORTAS

 

É possível dois políticos ganharem o mesmo debate na televisão? Sim, se ambos tiverem eleitorados muito diferentes e conseguirem fixar esses eleitorados com o seu desempenho televisivo. José Sócrates, muito desgastado por quatro anos e meio de governação e recém-surgido de uma derrota eleitoral nas europeias, abriu esta noite uma série de dez debates pré-legislativas com Paulo Portas (na TVI). Não esteve na sua melhor forma, longe disso, mas teve uma prestação suficiente para manter mobilizados os seus fiéis. Portas, que ambiciona sair deste escrutínio com capacidade para decidir a próxima solução governativa, precisava de marcar pontos neste frente-a-frente inaugural e conseguiu cumprir a tarefa. Nenhum deles cometeu erros clamorosos. Mas Portas foi um pouco mais eficaz, sobretudo em dois temas fulcrais: a economia e a educação. Neste último tópico, que encerrou o debate, resumiu quase tudo numa só frase: "O senhor quis virar o País contra os professores."

Sócrates foi superior nos momentos em que lembrou a reforma da segurança social - sem dúvida a melhor marca do seu Executivo. E desmontou com alguma perícia a "demagogia" do presidente do CDS nas questões da segurança. "É inacreditável que tenha votado a favor da alteração das leis penais e depois venha cá para fora falar contra elas", disparou o líder socialista. Esteve muito pior ao lembrar até à exaustão as responsabilidades governativas de Portas no triénio 2002-05, como se fosse isso que estivesse em jogo nestas legislativas: Sócrates, que no próximo dia 27 será julgado pelo que fez e sobretudo pelo que não fez, deveria ser o último a pretender suscitar comparações entre o País que encontrou ao chegar ao Governo e o País que existe agora.

"O senhor é perseguido pelo seu passado porque já esteve no Governo", atirou Sócrates.

"O senhor primeiro-ministro é perseguido pelo seu presente", retorquiu o líder do PP.

São talvez as duas frases que melhor resumem este debate.

 

Aqui ficam algumas outras:

 

Sócrates: "Portugal foi um dos primeiros países a sair da recessão económica."

Portas: "Este optimismo perante uma crise social significa que este primeiro-ministro não compreende as pessoas."

Sócrates: "Quando o senhor foi governo houve um agravamento das contas públicas."

Portas: "Para José Sócrates, em 2005, o desemprego de 6,9% era 'a marca falhada de uma governação'. O que será um país com 9,2% de desempregados?"

Sócrates: "O desemprego está a subir em Portugal, mas está também a subir em toda a Europa e em todos os países do mundo."

Portas: "Para o primeiro-ministro, tudo é culpa do passado ou culpa do mundo."

Sócrates: "Quando cheguei ao Governo, o senhor deputado tinha deixado a segurança social em elevado risco, segundo a Comissão Europeia."

Portas: "O senhor teve quatro anos e meio no poder, uma maioria absoluta obediente, um Presidente da República colaborante. As maiorias absolutas convertem-se em ignorância, falta de sentido do compromisso, falta de sensibilidade social."

Autoria e outros dados (tags, etc)


6 comentários

Imagem de perfil

De João Carvalho a 02.09.2009 às 23:07

A perseguição «pelo seu presente» com que Paulo Portas retorquiu a José Sócrates foi um óptimo momento. Saiu-lhe muito mal a insistência de que não tinha votado as leis penais. Mas acredito que esse detalhe não tenha contado para a maioria das pessoas.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 02.09.2009 às 23:15

Achei irrelevante essa insistência. E ficou mal a Sócrates acusar sete vezes Portas de praticar 'demagogia'. É uma ténica habitual neste primeiro-ministro: Sócrates adora desqualificar os adversários. Nunca gostei disso.
Imagem de perfil

De Pedro Oliveira a 03.09.2009 às 08:41

Provavelmente só irei ver o debate de dia 12, pois começa a faltar pachorra para ouvir sócrates eporque depois tenho a certeza que o Pedro faz o resumo do que interessa,como é mais uma vez o caso.
abr
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 03.09.2009 às 10:15

Foi só o meu ponto de vista, Pedro. Acho que houve um empate, com ligeira vantagem para Portas. Um empate num debate destes, de resto, seria sempre meia-vitória para Portas que partia com expectativas mais baixas perante um adversário político que costuma levar a melhor nos confrontos parlamentares. Sócrates não encaixa bem neste novo registo delicodoce que não é o seu. Provavelmente contra Louçã voltará a ser o 'animal feroz'.
Sem imagem de perfil

De Fonte próxima a 03.09.2009 às 10:13

Perdi metade do debate, por isso foi óptimo para mim poder ler agora o teu trabalho de casa. Bem fundamentado, como sempre. Porque para conversa de café, que é o que mais se lê e ouve por aí, já não há pachorrra.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 03.09.2009 às 10:23

Grato, Fonte Próxima. Logo à noite, se conseguir ver o debate, haverá mais.
(conversa de café não, para isso já me bastam os taxistas)

Comentar post



O nosso livro


Apoie este livro.



Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D