Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Yes, you can

por José Gomes André, em 13.07.09

 

As (excelentes) intervenções de Obama em África suscitaram um óptimo texto de Nuno Gouveia, do qual salientaria a seguinte passagem: "Obama pediu aos africanos que parem de se queixar do seu passado colonialista, e da exploração que sofreram pelos europeus. A génese dos problemas africanos está sim, na corrupção e nas suas elites. E Barack Obama foi mais longe, dizendo que a ajuda ocidental deve ser acompanhada pela garantia de boa governação e de boas práticas democráticas. [...] ao contrário daqueles que culpam o Ocidente e o capitalismo, o presidente americano urge os governos africanos a abraçaram um modelo de desenvolvimento económico e social responsável, assente nas instituições democráticas."

Obama está perfeitamente ciente de que a sua Presidência assume importantes contornos simbólicos e que esse facto, mais do que simples curiosidade, pode ser utilizado para operar alterações concretas nas políticas públicas. Naturalmente que não se "decreta" por exemplo o fim do racismo nos EUA, nem o fim da corrupção em África, mas quando um Presidente negro se refere a estes dois temas, as suas palavras têm uma amplitude e um significado reforçados. E ao insistir que, quer os afro-americanos, quer os povos africanos, têm de abandonar a referência sistemática à "exploração do passado", e assumir a sua responsabilidade e lutar pelo seu próprio destino, Obama envia claramente a mensagem certa.

Autoria e outros dados (tags, etc)


6 comentários

Imagem de perfil

De Pedro Correia a 13.07.2009 às 12:41

É, sem qualquer dúvida, a mensagem certa.
Sem imagem de perfil

De Maria João Marques a 13.07.2009 às 15:56

"Obama está perfeitamente ciente de que a sua Presidência assume importantes contornos simbólicos". Não deixa de ser verdade: a religião obâmica é algo com que tem de se contar. Mas não nos enganemos: para simbólico já temos muitos candidatos (por exemplo o Papa, que tem muitos mais seguidores na sua religião do que Obama) e nenhum deles tem qualquer efeito prático. Obama e os obâmicos perceberão a seu tempo que o que contam são as políticas concretizadas, que as suas palavras deixarão o mundo exactamente como o encontraram, se não pior por falta de acção. Veja-se, por exemplo, o que serviram as palavras de Obama de appeasement face a Teerão no ano novo persa.
Imagem de perfil

De José Gomes André a 13.07.2009 às 19:57

Cara Maria João, não espero que nos entendamos sobre o Obama, mas há duas coisas importantes a referir. 1) Partilho da sua crítica à "religião obâmica". Peço-lhe que não me inclua nessa lista de pessoas que o adoram como se fosse o novo Messias. Suponho que admite a hipótese de haver pessoas que gostam de Obama sem cair na idolatria, certo? :)
2) Estou de acordo que o mais importante na acção política são os "feitos concretos", mas julgo que está a desvalorizar excessivamente a importância do "simbolismo" associado a certas figuras, frases, posturas, etc. O mundo também mudou e também muda através de discursos simbólicos como o que ouvimos no Gana.
Sem imagem de perfil

De Maria João Marques a 14.07.2009 às 00:07

José, eh, eh, se concordássemos perdia a piada. E claro que tem razão:os aspectos simbólicos contam; acontece que o quanto contam só se pode verificar à posteriori, enquanto que com Obama toda a gente, da religião obâmbica ou não, perante qualquer coisa que o senhor diga atribui-se logo o epíteto de 'histórico' sendo que nada muda. As palavras de Obama para os muçulmanos têm sido francamente insatisfatórias (mas históricas,claro, mesmo quando diz aberrações sobre as mulheres e o véu) e as palavras sobre África provavelmente vão pelo mesmo caminho.
Sem imagem de perfil

De CM a 14.07.2009 às 00:34

Até que enfim que alguém põe o dedo na ferida...
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 14.07.2009 às 01:13

E muito bem.

Comentar post





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2015
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2014
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2013
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2012
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2011
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2010
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2009
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D