Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Assim não

por André Couto, em 06.07.09

Leonor Coutinho deu ontem nota da sua indignação, indignação que partilho. É inconcebível que seja em plena segunda semana de Julho, a dois meses das eleições, que se definam as regras para um ciclo eleitoral que há anos estava delimitado no tempo.

Um dos problemas que temos na política interna é a incapacidade de atrair bons valores e boa gente, esses amiúde apostam no privado onde não conhecem tanta exposição e são remunerados a um nível superior. Esta medida agora aprovada reforça essa incapacidade. A política no Partido Socialista deixa de ser algo previsível e aquilo que era verdade ontem passou a ser hoje mentira, o que é especialmente grave tendo em conta que se trata de opções de destino de vida e de carreira feitas por muita gente.

Não está em questão o mérito da decisão. Como já afirmei, concordo plenamente com a não permissão de duplas candidaturas. O Partido Socialista possui bons quadros, de sobra para enfrentar este ciclo e subsequente governação com sucesso. Para além disso é justificável, numa óptica de rejuvenescimento do Partido, a aposta em novos valores e credibilidade junto do eleitorado.

Situações que são iguais (Ana Gomes, Elisa Ferreira, Leonor Coutinho, Sónia Sanfona, por exemplo) estão a ser tratadas de forma desigual, sendo os critérios díspares e imprevisíveis. Se a alteração é feita posteriormente, no mínimo que se peça também a Ana Gomes e Elisa Ferreira que optem desde já pelo Parlamento Europeu ou pelos respectivos municípios.

Não é assim que se define um bom rumo interno e também não será em cima do joelho que se conquista a confiança dos portugueses.

Autoria e outros dados (tags, etc)


18 comentários

Imagem de perfil

De João Carvalho a 06.07.2009 às 11:54

Como escrevi em 'post' abaixo, os socialistas ficaram de tacha arreganhada: «uns a sorrir, outros a rosnar». Engraçado, este PS.
Imagem de perfil

De André Couto a 06.07.2009 às 12:18

Vejo isso de forma mais profunda, o que é natural. Discordo a toda a linha, há atitude que não têm tido sentido nenhum.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 06.07.2009 às 12:25

Não vou procurar fundo, mas entendo que Sócrates tinha mais vantagens se desviasse a oposição para outros temas até deixar cair a discussão em torno dos candidatos duplos. Esta decisão é um ponto falhado da estratégia que lhe convinha.
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 06.07.2009 às 13:04

Aplaudo a isenção, André. E concordo em absoluto com a conclusão que tiras: não é assim, com esta alteração permanente de critérios "conforme o que dá jeito", que o PS reconquista a já desgastadíssima confiança de quem lhe deu o voto antes. E muito menos novos eleitores.
Imagem de perfil

De Ana Vidal a 06.07.2009 às 13:10

O que não significa, devo acrescentar, que concorde com o princípio das candidaturas duplas, que considero profundamente desonesto e um mau princípio.
Imagem de perfil

De André Couto a 06.07.2009 às 15:41

Exacto. Não é o mérito da decisão que está em questão mas sim o tempo. Ainda poderia aceitar se Ana Gomes e Elisa Ferreira tivessem de optar, daria coerência e abrangência à decisão que seria justificada pelos tempos difíceis que o PS vive. Seria uma decisão fora de tempo, censurável mas ao menos cortava a direito com base num erro assumido.
Assim dá ar de filhos e enteados, não compreendo.
Sem imagem de perfil

De Amêijoa Fresca a 06.07.2009 às 13:09

I Parte

O sol tentam tapar
com uma peneira,
é uma forma de destapar
a tremenda bandalheira.

Por puro oportunismo,
apanágio dos socialistas,
tamanho é o cinismo
nestas decisões moralistas.

Esta falta de autenticidade
na política socialista,
alimenta a mendicidade
desta gente calculista.

II Parte

Os erros capitais
de uma legislatura falhada,
são tantos e fatais,
ficando a nação esfrangalhada.

As crenças adolescentes
e a propaganda encomendada,
originaram caos efervescentes
numa política trucidada.

A exacerbada autoridade
criou uma zanga colectiva,
aliada à falta de verdade
de uma política subjectiva.
Sem imagem de perfil

De RMG a 06.07.2009 às 13:23

Já sabemos que o Sócrates tem andado a enganar os portugueses. Agora, ficamos a saber que também engana os portugueses "camaradas" de partido.
O irónico da coisa, é que com toda a polémica à volta das duplas candidaturas, para Coimbra ainda nem meio candidato arranjaram.
Isto tudo, estando no poder. Se perdem as legislativas e Lisboa, então o melhor é fugir.
Imagem de perfil

De André Couto a 06.07.2009 às 15:47

Meios candidatos temos em todo o lado. Em Leiria por exemplo há uma: Isabel Damasceno, o Valentim Loureiro lá do burgo. A Manela quer, a estrutura local não. Divergências internas?

Por outro lado temos o Rangel. Criticar Elisa Ferreira e Ana Gomes é bonito, ser coerente e dizer que vai cumprir o mandato para que foi eleito, pondo de fora um regresso para formar Governo é que não. Conheço essas coerencias.

Não atire pedras que os telhados de vidro são mais que muitos. Deixe-se ficar em silêncio para que a porcaria que suja o copo não venha toda ao de cima.
Sem imagem de perfil

De João Sousa a 06.07.2009 às 17:36

Já várias vezes tenho visto o Rangel trazido à conversa. Na minha opinião, está-se a falar de situações diferentes. Tanto quanto eu sei, pertencer a um governo não implica uma candidatura, implica um convite. Paulo Rangel não se candidatou a mais nada que ao Parlamento Europeu. Limitou-se a dizer que, se for convidado para o Governo, pondera sair de Bruxelas.
Imagem de perfil

De André Couto a 07.07.2009 às 01:32

Caro João Sousa, isso é o mesmo que dizer que uma moeda de euro francesa não é igual à portuguesa.

Paulo Rangel não se candidata a nada para além das Europeias, apenas diz que se a Dra. ganhar volta para formar Governo com ela, deixando de cumprir voluntariamente o mandato para o qual foi eleito, em função de um lugar melhor. Seja então coerente e opte já por um ou por outro.

O que é lixado na política é que a coerência é uma coisa muito fácil de apregoar mas muito difícil de cumprir. Quando toca aos bolsos e às influências é o cabo dos trabalhos para lhe atender.
Sem imagem de perfil

De M.Coelho a 06.07.2009 às 13:27

E o António Costa ?
E o Paulo Pedroso ?
E o Fonseca Ferreira ?
Não será uma discussão tipo corporativista ?
Imagem de perfil

De André Couto a 06.07.2009 às 15:43

A diferença é que qualquer um desses três concorre a Câmaras onde é perfeitamente possível ganhar.
Sem imagem de perfil

De M.Coelho a 06.07.2009 às 16:06

É por isso mesmo que a discussão é do tipo corporativo.
Alguns não querem correr o risco de concorrer e perder um de dois lugares eventualmente disponíveis.
O exemplo da Leonor Coutinho é paradigmático. Ela sabe que não tem qualquer chance em Cascais. Se soubesse antes que não se podia candidatar a outro lugar acha que aceitaria a candidatura à Câmara ?
De certo modo, isto até é bom para educar quem considera a existência de lugares cativos na política.
Imagem de perfil

De André Couto a 07.07.2009 às 01:27

Está muito enganado a esse respeito. A Leonor Coutinho já tinha posto o seu lugar de Deputada à disposição, tal como o Paulo Pedroso. A esses dois faço-lhes a defesa da honra pois são exemplos raros de seriedade na política em Portugal.
Amanhã escreverei sobre isso.
Sem imagem de perfil

De M.Coelho a 07.07.2009 às 08:16

André,
não ponho em causa a seriedade mas sim as motivações.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 06.07.2009 às 22:02

Subscrevo e aplaudo o teu texto.
Imagem de perfil

De André Couto a 07.07.2009 às 01:25

Obrigado, Pedro. Amanhã continua.

Comentar post





Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2015
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2014
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2013
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2012
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2011
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2010
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2009
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D