Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Óbvio

por Leonor Barros, em 16.10.11

Se tivessem resolvido isto e isto, talvez fosse mais fácil aceitar que não havia alternativa para a subtracção dos subsídios de férias e de Natal. Enquanto não o fizerem continuarei a achar que fui roubada e que são os papalvos de sempre a pagar.

Autoria e outros dados (tags, etc)


20 comentários

Sem imagem de perfil

De Gi a 16.10.2011 às 17:37

Cuidado, Leonor, as coisas podem não ser exactamente o que aparentam. A "casa própria" pode ser uma propriedade que esteja alugada a outrem e, como bem viu um comentarista à notícia, 237,120 euros a dividir por 13 carros dá 18,240 euros o que não é seguramente o preço de qualquer carro de luxo.
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 16.10.2011 às 17:40

O que eu não entendo é porque é que o Estado tem de pagar casa seja a quem for. Os professores correm o país de lés a lés se for caso disso e não são pagos. E assim é que deve ser com todos, juízes, deputados, militares.
Sem imagem de perfil

De Gi a 16.10.2011 às 23:00

Aí concordo consigo, Leonor.
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 16.10.2011 às 17:47

Sim, Gi, não é preço de um carro de luxo, mas numa altura destas tudo o que seja gastar é luxo, especialmente numa empresa que tem 5 milhões de euros de prejuízo.
Sem imagem de perfil

De Gi a 16.10.2011 às 23:05

Com certeza, Leonor. Só duvido da notícia, ou seja: a empresa comprou 13 carros utilitários? Ou comprou uns poucos (não 13) carros de luxo? Ou será que comprou mesmo carros?
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 16.10.2011 às 23:07

Sim, tem razão, Gi, também fui fazer contas depois. Vamos esperar pelos desenvolvimentos.
Sem imagem de perfil

De Ricardo Sardo a 17.10.2011 às 10:54

Chamo a atenção para o facto de os carros dos Estado não serem comprados, mas adquiridos a título de leasing, daí o valor relativamente baixo (18 mil euros cada). Passados, por exemplo, 3 anos podem ser comprados por um valor baixo. E foi o que fizeram quase todos os governantes depois de sairem do governo, compraram por uma quantia simbólica os carros de luxo. E, isto sim, é um roubo.
Cumprimentos.
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 17.10.2011 às 13:42

É sempre um roubo, seja como for. Não há condições, não compram. Ponto. Gostava muito de ver alguém a agir nesta e noutras situações. Talvez aprendesse a respeitar quem nos governa. Até lá, continuam a ser todos iguais e nenhum presta para nada. Nada.
Sem imagem de perfil

De Ricardo Sardo a 17.10.2011 às 13:59

Cara Leonor, pode sempre pedir aos jotas do PSD para pedirem ao PGR que abra inquérito criminal, como pediram aos anteriores governantes. Ou aqui já não interessa que sejam criminalizados, pois já não dará títulos no Correio da Manhã?
Cumprimentos.
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 17.10.2011 às 14:26

É só quando convém, Ricardo.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 16.10.2011 às 17:59

Não há alternativa pelo volume da coisa.
Mas tem 100% de razão na ética.
Com uma ressalva na segunda notícia 200000 euros por 13 carros são 18000 euros por carro, assumindo que é uma compra normal não é luxo nenhum. Isto se os números estiverem correctos...

Imagem de perfil

De Leonor Barros a 16.10.2011 às 18:02

Nos tempos que correm tudo é luxo. Aguentem-se. Tenho o mesmo carro há dez anos e não morro por isso.
Sem imagem de perfil

De Luís Reis Figueira a 16.10.2011 às 18:40

Leonor, não me parece que tenha de achar «que foi roubada», pois a verdade é que V. e muitas centenas de milhares (eu incluído), fomos na verdade R-O-U-B-A-D-O-S com todas as letras. Mas é exactamente pela circunstância de sermos um número muito grande e de termos alguma voz, que não me conformo com este roubo autêntico e descarado e acho que, todos juntos, deveremos lutar para, se for de todo impossível inverter o processo, pelo menos que haja justiça e equidade na repartição dos sacrifícios exigidos e se acabe de uma vez por todas com esta autêntica pândega dos "portugueses públicos" e dos "privados" que já dura há anos e tem sido um autêntico "forróbódó" para políticos e não só e que só tem servido para divisionismos absurdos, estéreis e desprovidos de qualquer conteúdo palpável. Bem diz o ditado que «enquanto os lobos se devoram, folga o pastor», e é bem verdade. Estes "autênticos pastores" que supostamente nos deveriam governar, bem se têm governado a eles mesmos, com as divisões que de há muito vêm semeando entre o seu rebanho...
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 16.10.2011 às 19:00

Sim, claro, Luís, quando digo eu refiro-me a todos nós que temos de aguentar isto. Já escrevi aqui o que pensava: http://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/3589839.html

Claro que devia haver equidade, mas pelos vistos nós merecemos o fardo. Descobri agora que afinal somos muito invejados, imagine-se, ganhamos bem e temos muitas mordomias. Os deuses me/nos dêem paciência para aturar tanto disparate.
Sem imagem de perfil

De Luís Reis Figueira a 16.10.2011 às 20:05

Brilhante, Leonor. Tive pena de só agora, já um pouco tarde, o ver, mas está na verdade um belíssimo texto, muitíssimo bem escrito e temperado com todos os condimentos que fazem de um texto uma coisa agradável de se ler e de reflectir. Pensando melhor, e tal como canta o Chico Buarque, «nunca é tarde, nunca é demais». Não posso estar mais de acordo com tudo o que escreveu e sei que nos vamos encontrar mais vezes neste coro de indignados e, pior, de discriminados. Não toleraremos mais esta autêntica ópera bufa. Basta!
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 16.10.2011 às 20:46

Obrigada, Luís.
Que sina a nossa, a de aturar isto. Estou farta.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 16.10.2011 às 19:34

Roubados hahaha é preciso lata. Pedem emprestado 20% do ordenado em nome de todos e quando começa a acabar a fantasia dizem-se "roubados".
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 16.10.2011 às 20:46

Tenha cuidado não vá o Governo instituir um imposto sobre o disparate. Já percebi o seu ponto de vista há muito. Não há paciência!
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 17.10.2011 às 00:10

E como é de esperar não há argumento.
Imagem de perfil

De Leonor Barros a 17.10.2011 às 13:43

E quer que lhe diga o quê? Que eu e milhares de portugueses somos alheios a essa dívida de que fala? Já sabe o que penso.

Comentar post



O nosso livro


Apoie este livro.



Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D