Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Propaganda em hora de luto

por Pedro Correia, em 20.02.10

 

Durante um par de horas, fui acompanhando, quase incrédulo, as imagens dramáticas que nos chegavam da Madeira após dez horas consecutivas de chuva torrencial. A fúria da água, transportando incalculáveis quilos de lama, transformou ruas, praças e avenidas em violentos caudais que arrastavam tudo quanto surgia pela frente. A Avenida Arriaga, a Rotunda Sá Carneiro, a Rua 5 de Outubro, a Marginal do Funchal totalmente irreconhecíveis. A ponte junto ao Mercado dos Lavradores destruída. Horas de pânico na capital madeirense e também na bela vila da Ribeira Brava. O aeroporto de Santa Catarina fechado, o porto do Funchal também. Balanço provisório da tragédia: 32 mortos. Infelizmente com tendência para aumentar, pois é grande o número de pessoas desaparecidas.

Portugal está de luto. Portugal inteiro? Não: algures no Porto, a meio da tarde, um político fala aos militantes do seu partido, com direito a transmissão directa no canal público de notícias. Pura acção de propaganda, ao jeito a que este político já nos habituou. E que diz ele? Repete que os jornalistas cometeram "crimes" ao divulgar escutas telefónicas. Proclama, como se ele próprio acreditasse nisso, que Portugal "foi dos primeiros países a sair da recessão técnica" e que "podemos esperar crescimento económico já em 2010". Empolgado pela sua própria oratória, afirma: "Aumentámos o défice para evitar que o desemprego subisse." Estranhamente, sem escutar um coro de gargalhadas na sala.

O político a que me refiro é José Sócrates. Insensível à tragédia ocorrida numa parcela do território nacional, teimou em manter o discurso aos militantes do seu partido, como se a hora não fosse de luto. Confirma-se: para ele a propaganda está sempre em primeiro lugar. Nunca conseguirei espantar-me o suficiente com a falta de sentido de Estado deste homem.

Autoria e outros dados (tags, etc)


105 comentários

Sem imagem de perfil

De CNS a 20.02.2010 às 18:24

Que rumo toma este país?

Imagem de perfil

De Pedro Correia a 20.02.2010 às 20:10

Fiquei chocado com a insensibilidade do primeiro-ministro. Acabou por decidir embarcar para a Madeira ao fim da tarde, lembrando-se que antes de ser secretário-geral do PS é chefe do Governo. Ainda bem que mudou de ideias, depois de ter decidido que iria apenas o ministro da Administração Interna. Mas reagiu demasiado tarde: ainda falava como líder socialista no Porto quando já havia 30 mortos na Madeira. Chocante.
Imagem de perfil

De Paulo Gorjão a 20.02.2010 às 18:25

Realmente, Pedro, não se percebe a falta de tacto. Chega a ser surreal.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 20.02.2010 às 20:11

Cada vez mais desligado da realidade, Paulo. O problema não é só dele, infelizmente. É um problema do País.
Sem imagem de perfil

De lili a 20.02.2010 às 18:28

Duma coisa assim, só me lembro de Heysel Park, mas aí, perdoa-se, creio que as pessoas não tiveram noção da tragédia.
Sem imagem de perfil

De João Espinho a 20.02.2010 às 18:31

Levei este post para o FB.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 20.02.2010 às 20:11

E levaste muito bem.
Sem imagem de perfil

De A. João Soares a 20.02.2010 às 18:39

Sobre a falta de senso das suas (dele) palavras, sugiro que sisite o post

http://domirante.blogspot.com/2010/02/confio-muito-em-mim.html
O mais grave é que ele parece acreditar naquilo que diz. Assim nada o parará de continuar com o freio nos dentes.

Um abraço
João
Imagem de perfil

De Teresa Ribeiro a 20.02.2010 às 19:23

Inqualificável!
Sem imagem de perfil

De hmbf a 20.02.2010 às 19:53

«Insensível à tragédia ocorrida numa parcela do território nacional, teimou em manter o discurso aos militantes do seu partido, como se a hora não fosse de luto.»

Olhe, Pedro, eu julgo que esta sua "especulação" sobre a sensibilidade do PM é absolutamente doentia.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 20.02.2010 às 20:00

E eu julgo que "hmbf" é um esconderijo absolutamente doentio. Pelo que disse, não admira.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 20.02.2010 às 20:02

Criticar o primeiro-ministro é «doentio», Henrique Fialho? Já chegámos a este ponto da «argumentação» política.
Sem imagem de perfil

De bohren a 20.02.2010 às 19:44

A culpa da tragédia da Madeira só tem um nome: Sócrates.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 20.02.2010 às 20:02

O disparates têm sempre aqui um nome: "bohren".
Sem imagem de perfil

De mike a 20.02.2010 às 19:52

No further comments, Pedro.
Sem imagem de perfil

De TOZE Canaveira a 20.02.2010 às 19:56

Pode realmente ter havido uma noção real e exacta do sucedido, menos cuidada ou informada, mas creio que o mais apropriado será analisar a situação e tentar acudir a todos os que foram afectados. Partidarizar isto, é um erro crasso. É insensível e desumano até.
É triste o aproveitamento que já se faz, nas tv´s, de gente que só ganharia em estar calada.
O homem até já lá deve estar a chegar...

O ano passado fui lá duas vezes e pude fazer muitos quilómetros, em passeio, para conhecer o máximo possível. Vi muito e trouxe umas largas centenas de fotografias, felizmente.
Recordo-me de ter feito um comentário com as pessoas que me acompanhavam, de que se um dia lá houvesse um temporal daqueles que vemos nos filmes, ou que só acontecem nos outros países, aquilo não tinha ponta por onde se pegar. Porquê? A ilha não tem quase nada a direito, aquilo é tudo a subir e a descer. O local mais plano onde me lembro de ter andado é na marginal do Funchal. Uma chuvada nas zonas mais altas é fácil de ver que a água vem por aí abaixo. Por mais que se faça, por mais que se limpe, por mais que se previna, é impossível evitar o que se viu hoje.
Não vamos crucificar ninguém, mas ajudar agora a resolver.
Até o coitado do Presidente Alberto João, por quem eu não nutro grande simpatia, hoje estará a passar um dos piores dia da sua vida autárquica, mas acima de tudo, como filho da Madeira.
Solidarizo-me com a sua angustia e com todos os que estão neste momento a sofrer.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 20.02.2010 às 20:04

É esse precisamente o meu ponto, Tó Zé. Apreciei o registo sensato que aqui nos deixou.
Sem imagem de perfil

De TOZE Canaveira a 20.02.2010 às 23:42

O homem não é autarca. Eu queria dizer da "sua vida política".
Raio partam o alemão..... irra
Sem imagem de perfil

De Chloé a 21.02.2010 às 03:24

Quem deve estar a passar "um dos piores momentos da sua vida autárquica" é Miguel Albuquerque... Já ouvi chamar muitos nomes a Alberto João Jardim e ao governo da RAM, mas esse nunca :-)
Sem imagem de perfil

De TOZE Canaveira a 21.02.2010 às 12:56

Dei pela calinada, antes do seu comentário.
Obrigado.
Mas tenho que pedir desculpa aos autarcas deste país.
AJJ tem um comportamento pior que muitos presidentes de junta (presidentes de junta, as minhas desculpas também)
Imagem de perfil

De João Carvalho a 20.02.2010 às 20:06

Tiraste-me as palavras da boca, compadre. Até o ministro da Administração Interna, em vez de seguir para lá, foi primeiro buscar o primeiro-ministro ao Porto, onde este ainda não tinha concluído a publicidade.
Imagem de perfil

De Pedro Correia a 20.02.2010 às 20:12

Os votos antes dos mortos. Depois querem mobilizar as pessoas para a política.
Sem imagem de perfil

De VC a 21.02.2010 às 08:47

Se a tragédia tivesse ocorrido em Lisboa, capital de votos socialistas, o comportamento de Sócrates seria diferente.
No entanto, ocorreu na Madeira, essa ilhota que vota obstinadamente num tipo que não abona os resultados eleitorais de Sócrates.
Pode ser coincidência, claro. Como todos os casos que envolvem Sócrates. É um azarado das coincidências.

Comentar post


Pág. 1/4



O nosso livro


Apoie este livro.



Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D