Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Jerónimo tem razão

por J.M. Coutinho Ribeiro, em 01.02.09

Ao afirmar, por estes dias, que o caso Freeport é um assunto de Estado, Cavaco Silva quis, certamente, dizer alguma coisa importante. O quê, não se sabe bem. E, por isso, bem andou Jerónimo de Sousa em pedir satisfações. De outro modo, ficamos sem saber o que pensa o PR sobre a questão.

O assunto é de Estado porque Cavaco acha que Sócrates está envolvido no esquema? Ou será que Cavaco entende que envolver um PM num escândalo destes é de tal forma abusivo que se torna, por isso, assunto de Estado? E, se assim é, quererá dizer o PR que a liberdade de imprensa tem sido ilegitimamente exercida neste caso, porque põe em causa o normal funcionamento das instituições e lança um inaceitável labéu de desconfiança sobre um governante sem indícios relevantes? Ou quererá Cavaco dizer que a justiça não cumpriu o seu papel de perseguição de criminosos num caso que envolve poderosos que põem em causa os pilares do Estado? Ou pretenderá Cavaco salientar que estamos perante um inadmissível atentado de uma agência inglesa à soberania nacional? Ou será que o PR quis criticar a forma desajustada como as autoridades judiciárias têm respondido às questões que têm vindo a ser suscitadas? Ou será que Cavaco nos quis dizer que os pilares que sustentam o regime estão de tal modo corroídos pela corrupção que se impõem medidas drásticas?

O "camarada" Jerónimo quer saber. Eu também. E não devemos ser os únicos.

Autoria e outros dados (tags, etc)


15 comentários

Imagem de perfil

De Pedro Correia a 02.02.2009 às 00:38

Também eu. Todas estas questões são muito pertinentes.
Imagem de perfil

De J.M. Coutinho Ribeiro a 02.02.2009 às 01:00

Ainda bem, Pedro. Se formos muitos a querer saber, pode ser que "isto" ainda se salve.
Sem imagem de perfil

De rms a 02.02.2009 às 14:34

É que estou de todo. Ainda pensei que fossem os ares da capital que me tolhiam as vistas... Vou guardar este título e este comentário do caríssimo, em particular.
Imagem de perfil

De ACCB a 02.02.2009 às 00:57

"Ou será que Cavaco nos quis dizer que os pilares que sustentam o regime estão de tal modo corroídos pela corrupção que se impõem medidas drásticas?"
Imagem de perfil

De J.M. Coutinho Ribeiro a 02.02.2009 às 01:00

Será, caríssima, essa a preocupação de Cavaco?
Imagem de perfil

De ACCB a 02.02.2009 às 01:13

Sabe JC, pra falar sério o que eu penso mesmo é que se fala demasiado neste País de gente pequenina.
A imprensa faz os julgamentos e aquilo que podia ser prova é espalhado pelas ruas e por nossas casas
Qualquer dia ainda os vejo à procura de documentos cá em casa ou no elvador
Ou então, dispo a beca. É muito mais giro ser jornalista de investigação.
Assim como assim, já está tudo tão misturado que isto deve ter que ver com a tal interdisciplinariedade de funções .
Só espero é nunca ser apanhada no meio de uma confusão e ver o meu nome por ai em praça pública se mais aqueles.
Nesse dia JURO que processo quem me difamar.
Imagem de perfil

De J.M. Coutinho Ribeiro a 02.02.2009 às 01:20

Há situações em que se fala demais e situações em que se fala de menos. E num e noutro caso, há quem vá aproveitando. E foi assim que aqui chegámos.
Imagem de perfil

De João Carvalho a 02.02.2009 às 16:49

Sabe, Cleópatra, o J.C. costumava ser eu. Tem dormido mal?
Imagem de perfil

De ACCB a 02.02.2009 às 16:54

João.
O JC, diz bem, costumava ser o João.
Mas para mim o JC é o Coutinho Ribeiro. Lamento.
Se tenho dormido mal?
Não.
Tenho trabalhado muito e o pouco que durmo tenho dormido MUITO BEM!
:-)
Imagem de perfil

De João Carvalho a 02.02.2009 às 18:50

Folgo com isso. Muito pouco e muito bem há muito pouco quem (adaptação livre de dito popular). Espero que ainda dê para despir a beca...
Imagem de perfil

De ACCB a 02.02.2009 às 22:51

Eu respondia-lhe mas, Vexa não me conhece e iria fazer um juízo errado. : -)
Imagem de perfil

De João Carvalho a 02.02.2009 às 22:59

Não fui eu que falei em tirar a beca nem em dormir pouco. Apenas lhe peguei na palavra.
Vejo que não costuma ler-me. É natural. Porém, se me lesse, jamais encontraria motivo para começar por me tratar pelo primeiro nome e vir agora com isso. Sei gracejar, mas não sei ser grosso.
Queira continuar a aparecer, que não estarei cá para importuná-la.
Imagem de perfil

De ACCB a 03.02.2009 às 00:09

Então se sabe gracejar e, não me conhecendo, pergunte sobre mim ao JC- vulgo anónimo.
Assim respondo-lhe:

"Espero que ainda dê para despir a beca..."
Resposta:
_ E não só!!

Imagem de perfil

De J.M. Coutinho Ribeiro a 03.02.2009 às 00:22

Vá lá, não se zanguem!
Imagem de perfil

De ACCB a 03.02.2009 às 00:33

Não. Nada! Diz o JC que era Jc que está a gracejar.
Limitei-me a responder à altura! ;-))
JC- eu nunca me zango. Qdo me zango...não apareço.

Comentar post



O nosso livro


Apoie este livro.



Links

Blogue da Semana

  •  
  • Afinidades

  •  
  • Lá fora cá dentro

  •  
  • Mais ligações

  •  
  • Informações úteis


    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D